A verdade sobre as bebidas zero açúcar
4 de fevereiro de 2021

O que é comida de verdade, alimento industrializado e ultraprocessado?

Quando falo em comer comida de verdade, algumas pessoas podem se questionar: o que seria, então, “comida de mentira”?! Esclareço: é aquela comida ultraprocessada, que já vem “pronta” e temperada de fábrica. Afinal, a comida que encontramos na natureza não é assim. Acho importante destacar tb a diferença entre comida industrializada e ultraprocessada. Boa parte dos alimentos que encontramos por aí são industrializados. Foram retirados da natureza e passaram por algum tipo de processo industrial (como o saquinho de farinha de quinoa ou mesmo um sal rosa), mas isso não significa que eles não sejam saudáveis, já que eles são “minimamente processados”.

O problema está nos ultraprocessados, esses sim representam um perigo para a saúde, pois estão longe de sua forma “original” e, muitas vezes, passam por processos que envolvem aditivios químicos, conservantes e corantes artificiais (como os nuggets de frango congelado).

E por falar nos ultraprocessados…Você tem comido mais ou menos desse tipo de alimento durante a pandemia? De acordo com um novo estudo do Datafolha, brasileiros de 45 a 55 anos estão consumindo mais “alimentos” deste tipo, passando de % em outubro de 2019 para 16% em junho de 2020! Isso é preocupante porque esses produtos são sabidamente associados a diversas doenças como diabetes, obesidade, pressão alta, entre outras – e esse aumento no consumo ocorre justamente em um momento em que deveríamos estar combatendo essas doenças para, assim, lutarmos também contra o coronavírus.
Sei que esses alimentos podem ser prazerosos (e até mesmo viciantes, afinal, são repletos de aditivos para “viciar” o paladar), podem tb ser bem práticos, mas será que valem a sua saúde? Convido vc a refletir sobre e compreender que se queremos um envelhecimento com qualidade de vida, nos proteger de doenças e preservar a saúde o único caminho possível é ela: a #COMIDADEVERDADE!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Fonte: IDEC/Datafolha

WhatsApp chat