Gratidão: exercê-la regularmente muda a estrutura molecular cerebral
23 de dezembro de 2023
Homens que fazem sauna vivem mais
24 de dezembro de 2023

Alzheimer: novo estudo mostra como o açúcar danifica o cérebro e favorece doenças neurodegenerativas

Prepare-se para ficar chocado com as descobertas assustadoras de uma nova pesquisa do Fred Hutchinson Cancer Research Center nos EUA! Estou falando de uma ameaça direta ao seu cérebro: a DIETA RICA EM AÇÚCAR!

A pesquisa, publicada neste ano, revela que uma dieta açucarada aumenta drasticamente o risco de doenças neurodegenerativas, incluindo o temido Alzheimer! Os cientistas descobriram que a resistência à insulina no cérebro resulta na incapacidade de eliminar detritos neuronais, tornando você vulnerável a condições devastadoras. Este é um alerta sério para todos nós!

Os pesquisadores utilizaram moscas da fruta como modelo, provando que dietas carregadas de açúcar desencadeiam resistência à insulina nas células gliais do cérebro. Essas células, cruciais para a limpeza de detritos neurais, sofrem um colapso sob o impacto do açúcar!

O estudo revela que a dieta rica em açúcar resulta em níveis reduzidos de PI3k nas células gliais, indicando resistência à insulina. A microglia equivalente nas moscas, chamada de glia embainhadora, apresenta níveis prejudicados da proteína Draper, essencial para a remoção de detritos neurais. Um verdadeiro pesadelo para o cérebro!

Danos nos neurônios olfativos mostraram que a glia embainhadora, incapaz de aumentar os níveis de Draper, não conseguia remover os axônios degenerados nas moscas que se alimentavam de açúcar. Isso significa que a dieta açucarada compromete a capacidade do cérebro de se autolimpar, abrindo as portas para o desastre neurodegenerativo!

Este estudo é um grito de alerta! A relação entre dietas açucaradas e o aumento do risco de doenças neurodegenerativas é clara, bem como a associação do açúcar com a obesidade, problemas cardíacos, diabetes e até mesmo câncer! Por isso, é mais do que hora de repensarmos nossos hábitos alimentares e defendermos nosso bem mais precioso: a nossa saúde!

Quem aí já retirou o excesso de açúcar no dia a dia?

Referência: https://doi.org/10.1101/2023.03.09.531940